Quais são os perigos da automedicação?

Tomar remédios por conta própria representa um dos maiores riscos à saúde. Ao contrário do que a maioria pensa, ao fazer uso para tratar alguma doença você pode estar causando mais dano. Os perigos da automedicação devem ser conhecidos a fim de serem evitados.

Publicado por Grupo Biocentro
em

Quais são os perigos da automedicação?

Tomar remédios por conta própria representa um dos maiores riscos à saúde. Ao contrário do que a maioria pensa, ao fazer uso para tratar alguma doença você pode estar causando mais dano. Os perigos da automedicação devem ser conhecidos a fim de serem evitados. 

O Brasil é um dos maiores consumidores de medicamentos, sobretudo porque é fácil comprá-los sem prescrição e porque o acesso aos serviços de saúde, muitas vezes, é demorado.

Você sabe quais são os perigos da automedicação? Sabe o que acontece com o seu organismo ao fazer uso de remédios sem indicação médica? Vamos tratar a seguir desses riscos, então acompanhe!

Intoxicação medicamentosa
No Brasil, devido à facilidade de compra nas farmácias, os medicamentos são muitas vezes vendidos  sem prescrição médica. Os principais são os anti-inflamatórios, antibióticos, antidepressivos e analgésicos, e eles podem ser altamente tóxicos. 

A intoxicação dependerá de fatores como o tempo de exposição à substância, sua concentração e natureza, suscetibilidade do indivíduo e forma de absorção (inalação, ingestão ou pela pele).

O paracetamol, por exemplo, tem sido a grande preocupação da comunidade científica: a maioria das pessoas ingere o medicamento para redução de febre e dor de cabeça, mas não sabe que ele está presente, também, nos antigripais em associação com outros componentes.

Assim, uma pessoa gripada que está se automedicando pode fazer uso do paracetamol duplamente sem saber e ultrapassar facilmente a dose recomendada, gerando dano ao fígado.

O uso prolongado de anti-inflamatórios, como aspirina e nimesulida, pode provocar problemas renais e lesões gástricas, e também aumentar o risco para hemorragias. 

Os sinais de uma intoxicação dependem da substância administrada, podendo causar desde irritação nos olhos, nariz, garganta, até mesmo nos pulmões ou pele. Outros indícios importantes são a asfixia e a sensação de anestesia.

Mascaramento de doenças
É consenso que ninguém gosta de sentir dor ou desconforto e que o melhor a fazer sempre é procurar o alívio imediato para seguir com a rotina. Acontece que todo sinal ou sintoma, especialmente dor e febre, é um indicativo do corpo de que algo não vai bem e, ao silenciá-lo, você pode estar negligenciando ou mascarando indícios de um problema mais grave.

Um exemplo clássico é medicar logo que a febre aparece, evitando transparecer a presença de alguma infecção no organismo. Outra situação bastante comum é a “queimação” no estômago, que pode ser sinal de uma doença gástrica e que é mascarada pelo uso de antiácidos, como o omeprazol.

Dessa forma, as pessoas podem confundir uma dor de estômago com uma apendicite, que necessitaria de intervenção imediata, e sabemos que o prognóstico da maioria das doenças é consideravelmente melhor quando há um diagnóstico precoce.

Dependência química
O uso frequente de uma medicação condiciona o organismo a funcionar sempre na presença daquele princípio ativo, podendo levar o corpo à abstinência. Alguns sinais de que o organismo está em abstinência são ansiedade, insônia, irritabilidade, dor de cabeça e náuseas.

É importante entender que o vício pode ocorrer tanto na automedicação quanto com medicamentos que foram prescritos. A diferença é que o médico deve saber exatamente quanto tempo deve durar o tratamento, quando é hora de suspender o remédio e como fazer isso de forma gradativa. Entre os campeões em gerar dependência química estão os ansiolíticos, remédios para dormir e para emagrecer.

Esperamos que, ao final desta leitura, você tenha compreendido os perigos da automedicação para a sua saúde e a extrema importância de fazer um acompanhamento médico e farmacêutico para o uso adequado do remédio. Esses profissionais estudaram e são capazes de determinar quando e qual a dose de cada medicamento deve ser usada para tratar determinada doença.

Gostou deste conteúdo? Não perca mais nenhum de nossos assuntos, curta agora mesmo a nossa página no Facebook!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Quais são os perigos da automedicação?

Enviando Comentário Fechar :/