Cistos no ovário – O que são e o que fazer?

Os cistos no ovário se tratam de formações saculares que contém líquido que são desenvolvidos e se abrigam nos ovários das mulheres, afetando indivíduos de qualquer idade, tendo em sua maioria variedade funcional ou fisiológica – não relacionados a nenhuma enfermidade.

Publicado por Grupo Biocentro
em

Cistos no ovário – O que são e o que fazer?

Os cistos no ovário se tratam de formações saculares que contém líquido que são desenvolvidos e se abrigam nos ovários das mulheres, afetando indivíduos de qualquer idade, tendo em sua maioria variedade funcional ou fisiológica – não relacionados a nenhuma enfermidade.

Em sua grande maioria, os cistos que aparecem nos ovários são benignos e deixam de existir em sua própria função, não sendo necessário nenhum tratamento e tendo a duração de apenas algumas semanas, geralmente tendo sua ocorrência em períodos onde a mulher está fértil.

 Conheça as variações de cistos no ovário

Os cistos no ovário podem ser de forma benigna ou maligna, algumas variações dos cistos benignos são:

Cistos foliculares

Este tipo de cistos no ovário tem sua formação a partir do crescimento anormal de um folículo do ovário no período menstrual da mulher, e também quando não há a ruptura em sua forma normal para a liberação do óvulo pela menstruação. Geralmente, os cistos foliculares se resolvem espontaneamente em dias ou meses.

Cistos de corpo lúteo

Os cistos de corpo lúteo ocorrem após a liberação dos óvulos na região interna dos folículos. Quando não há a ocorrência da gravidez o corpo lúteo normalmente diminui e some, porém, há os casos onde ele é preenchido com líquidos ou sangue e permanece dentro da região do ovário.

 Cistos dermóides

Na maioria das vezes afetam mulheres mais jovens. Este tipo de cisto no ovário é também conhecido como teratoma cístico, um tumor geralmente benigno, que pode conter gordura, pelos, cartilagem e até mesmo ossos em seu interior.

A maneira de identificar e conhecer mais um desde tipo de cistos no ovários é por meio de uma tomografia e uma ressonância nuclear que podem mostrar melhor a composição do tumor que estiver na região ovariana.

Mesmo sendo geralmente de natureza benigna, pode estar associado a complicações, como torções de ovário e necessitam tratamento cirúrgico.

 Cistos hemorrágicos

Pode ocorrer dentro do ovário o aparecimento de cistos hemorrágicos. Geralmente são cistos funcionais que apresentam sangramento. As pacientes podem apresentar dores na região do abdômen no lado em que o cisto ocorrer.

 Ovários policísticos

Os dois ovários são maiores em tamanho e volume – na maioria das vezes atingindo o dobro do tamanho normal – com pequenos cistos no ovário em sua superfície exterior.

A ocorrência de ovários policísticos se dá tanto em mulheres com a saúde aparentemente normal quando com problemas endócrinos. Podem estar associados à síndrome dos ovários policísticos, que abrange sintomas além dos cistos no ovário.

 

Endometrioma ou cisto endometrióide

Este tipo de cistos no ovário é formado a partir do momento que os tecidos que cobrem a área interior do útero crescem de maneira desenfreada e anormal, podendo ocasionar sangramentos e áreas marrons no ovário, conhecidas como cistos chocolate ou endometriomas podendo causar dor no período menstrual.

 Cistoadenomas

Consistem em tumores benignos que tem seu desenvolvimento nos tecidos ovarianos, podendo ser preenchidos por conteúdo mucoso ou seroso e apresentarem um crescimento anormal.

 Como tratar cistos no ovário?

Os cistos no ovário funcionais são os que ocorrem com mais frequência e na maioria das vezes desaparecem por conta própria não sendo necessário nenhum tipo de tratamento com relação à sua existência.

Mas, em alguns casos, pode ocorrer o aumento e o crescimento desenfreado destes cistos no ovário, o que requer um tratamento específico e realização de um processo de biópsia para confirmação da qualidade benigna dos mesmos.

A maioria dos casos pode ser tratada e regulada – o ciclo menstrual – por meio da utilização de métodos anticoncepcionais orais hormonais que ajudam na prevenção da formação de novos cistos no ovário, evitando a formação de novos folículos. Já no auxílio à redução da dor, os antiinflamatórios podem ser utilizados.

Mais raramente podem ter natureza maligna, e por isso sempre merecem uma avaliação pelo seu médico ginecologista.

Cada tipo de cisto tem um tratamento e abordagem distinta, sendo essencial a avaliação pelo especialista e por métodos diagnósticos como o ultrassom transvaginal.

Se estiver com qualquer tipo de suspeita ou sintoma da ocorrência de cistos no ovário, é fundamental o acompanhamento médico para um melhor diagnóstico e tratamento do seu caso em específico, o que só pode ser feito por meio da intervenção de um profissional treinado.

Para saber mais acesse o site www.grupobiocentro.com.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Cistos no ovário – O que são e o que fazer?

Enviando Comentário Fechar :/