7 coisas que você precisa saber sobre a microcefalia!

A microcefalia consiste em uma condição na qual o bebê nasce com o cérebro menor que o tamanho normal. Consequentemente, há retardo mental, visto que todas as estruturas não foram completamente desenvolvidas.

Publicado por Grupo Biocentro
em

7 coisas que você precisa saber sobre a microcefalia!

A microcefalia consiste em uma condição na qual o bebê nasce com o cérebro menor que o tamanho normal. Consequentemente, há retardo mental, visto que todas as estruturas não foram completamente desenvolvidas.

Além da forma que o bebê já nasce com o problema, a microcefalia pode ser também uma ausência de crescimento após o nascimento. Esta forma, também possuirá diversos impactos no desenvolvimento da criança.

A seguir, conheça as principais informações sobre esta doença!

  1. Decorrente de uma consequência de complicações na gestação ou parto

A microcefalia pode ser originada de diversas causas, sendo uma delas, a ausência de oxigênio (hipóxia) ao feto. Na ausência deste composto, o feto ou bebê, não consegue manter as funções fisiológicas íntegras, podendo resultar em microcefalia.

Isso pode ocorrer tanto durante a gestação, como também no momento do parto.

  1. Causada por substâncias utilizadas pela mãe

O retardo do crescimento cerebral pode também estar associado ao uso de substâncias tóxicas ao feto, durante a gestação.

Conheça alguns agentes que podem interferir:

  • Exposição à drogas ilícitas;
  • Tabagismo;
  • Álcool;
  • Uso indevido de determinados medicamentos;
  • Contato com produtos químicos.
  1. Zika vírus

Recentemente, alguns estudos comprovaram a relação do Zika vírus com a microcefalia, e isso pode ocorrer tanto antes, como também após o nascimento.

O vírus ataca principalmente, as células progenitoras cerebrais, que seriam responsáveis pela formação de todo o conjunto cerebral. Na ausência destas, o crescimento se faz deficiente.

  1. Tratamento

Infelizmente, ainda não existe nenhum tratamento que seja capaz de reverter a doença e promover o crescimento cerebral correto.

Mas, o que pode-se utilizar, são remédios que atuam nos sintomas e problemas associados à microcefalia, de modo a melhorar a qualidade de vida e bem-estar dos pacientes.

  1. Possibilidade de complicações

Levando em consideração o fato de que o cérebro do paciente será muito menor que o de uma criança normal, é possível perceber que diversas funções estarão comprometidas.

Conheça algumas das possíveis manifestações deste déficit estrutural:

  • Transtornos cognitivos;
  • Dificuldades de coordenação e equilíbrio;
  • Dificuldades e atrasos na fala;
  • Distúrbios motores;
  • Epilepsia;

E muitos outros.

  1. Expectativa de vida

Considerando os déficits e transtornos presentes na criança, conclui-se que seu tempo de vida tende a ser menor que o da maioria da população.

Mas, como cada organismo reage de uma forma à situação, e também existem formas de adaptar-se, não possível determinar a certo quanto tempo o paciente viverá.

7.Existem formas de prevenção

A prevenção da microcefalia se dá em duas etapas:

Durante a gestação

Como visto anteriormente, a microcefalia pode ser por conta de condições fetais, que poderão ser evitadas com:

  • Abandono do tabagismo, álcool, drogas e outras substâncias tóxicas;
  • Não utilizar nenhum medicamento além do que for indicado pelo médico;
  • Prevenir-se do Aedes aegypti.

Depois do nascimento

Os cuidados com o seu filho, serão no sentido de prevenir-se da picada do mosquito causador:

  • Uso de telas e proteções, tanto em janelas quanto ao redor do berço;
  • Evitar água parada;
  • Uso de repelentes adequados.
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para 7 coisas que você precisa saber sobre a microcefalia!

Enviando Comentário Fechar :/